img:MANA (Decentraland)
MANA (Decentraland) - MANA
R$ 1,97 4.94%
img:Ethereum
Ethereum - ETH
R$ 18.949,72 6.81%
img:Chiliz
Chiliz - CHZ
R$ 0.39646842 4.71%
img:Shiba Inu
Shiba Inu - SHIB
R$ 0.00010848 12.77%
img:Cardano
Cardano - ADA
R$ 2,40 1.55%
img:ApeCoin
ApeCoin - APE
R$ 4,23 1.94%
img:Bitcoin
Bitcoin - BTC
R$ 352.081,53 5.81%
img:XRP
XRP - XRP
R$ 2,93 2.48%
img:USD Coin
USD Coin - USDC
R$ 5,45 -0.18%
img:Solana
Solana - SOL
R$ 863,60 6.86%
img:MANA (Decentraland)
MANA (Decentraland) - MANA
R$ 1,97 4.94%
img:Ethereum
Ethereum - ETH
R$ 18.949,72 6.81%
img:Chiliz
Chiliz - CHZ
R$ 0.39646842 4.71%
img:Shiba Inu
Shiba Inu - SHIB
R$ 0.00010848 12.77%
img:Cardano
Cardano - ADA
R$ 2,40 1.55%
img:ApeCoin
ApeCoin - APE
R$ 4,23 1.94%
img:Bitcoin
Bitcoin - BTC
R$ 352.081,53 5.81%
img:XRP
XRP - XRP
R$ 2,93 2.48%
img:USD Coin
USD Coin - USDC
R$ 5,45 -0.18%
img:Solana
Solana - SOL
R$ 863,60 6.86%
Redação Redação
a- A+

Uma das questões que mais divide os investidores de criptomoedas, incluindo os mais experientes, é o melhor momento para comprar Bitcoin. Enquanto alguns acreditam em seu potencial de valorização de longo prazo, outros preferem aguardar quedas na cotação para aproveitar oportunidades.

Definir se vale a pena comprar Bitcoin depende do seu horizonte de investimento e entendimento sobre a forte oscilação de preço da renda variável. No entanto, os benefícios de resistência à censura e previsibilidade de oferta dessa criptomoeda são incomparáveis.

Confira se compensa investir em Bitcoin, seu histórico de rentabilidade e potencial de crescimento.

A popularidade do Bitcoin

Pesquisas indicam que menos de 5% da população global usa criptomoedas, equivalente à adoção da internet em 1998, mostrando que a tecnologia está em um estágio inicial de adoção. O crescente interesse dos investidores na criptomoeda Bitcoin (BTC) fica evidente nos dados de utilização da rede.

Embora seja impossível afirmar quantos usuários existam, o número de endereços na rede com saldo acima de 100 dólares superou a marca de 17 milhões em 2023. Isso indica que as pessoas estão usando Bitcoin além do caráter especulativo de preço.

Vale a pena investir em Bitcoin?

Sim, investir em Bitcoin vale a pena, pois o número de moedas em circulação é previsível e seu funcionamento é independente dos bancos, governos e empresas de tecnologia. Dessa forma, é quase impossível que um grupo tome controle dessa rede descentralizada seja para violar alguma transação ou alterar sua política monetária.

O Bitcoin apresenta diferenciais importantes em relação às moedas fiduciárias, aquelas emitidas por países e governos. Sua tecnologia revolucionária inclui o banco de dados descentralizado blockchain, porém seu principal diferencial é sua política monetária com inflação decrescente e a ausência de uma estrutura hierárquica.

Mesmo que existam outras milhares de criptomoedas, o Bitcoin é a única com 14 anos de funcionamento sem quebra em seu mecanismo de segurança. A rede funciona sem um coordenador central e os novos registros são garantidos por uma enorme capacidade computacional, tornando seu blockchain extremamente seguro e confiável.

Vantagens do investimento em Bitcoin

O Bitcoin oferece diversas vantagens para os investidores. Além de atuar como uma reserva de valor similar ao ouro, também pode ser visto como um meio de pagamento independente e livre de controle governamental. Paralelamente, a tecnologia blockchain que o sustenta torna as transações auditáveis e transparentes. 

Para alguns investidores o potencial de valorização do Bitcoin é o fator mais atrativo, enquanto outros enxergam nele uma forma de diversificar seu portfólio, alocando em diferentes classes de ativos.

Reserva de valor e proteção contra a inflação

O Bitcoin é projetado para ser escasso, contando com uma oferta limitada a 21 milhões de moedas. Ao contrário das moedas fiduciárias tradicionais, não é possível imprimir mais Bitcoins. Além disso, a cada quatro anos ocorre um evento chamado “halving” onde a recompensa concedida aos mineradores é reduzida pela metade. Esse mecanismo ajuda a controlar a taxa de emissão de novos Bitcoins.

Essa característica torna o Bitcoin um potencial proteção contra a inflação, pois seu suprimento limitado pode proteger o poder de compra dos investidores em tempos de desvalorização das moedas fiduciárias. Por exemplo, na Argentina, o Bitcoin atingiu seu recorde de valor em agosto de 2023 na moeda local. Este efeito nos mostra a eficiência do Bitcoin como reserva de valor frente à inflação projetada de 145% ao ano do Peso Argentino.

Meio de pagamentos independente

Embora possa ser utilizado como instrumento especulativo, o Bitcoin oferece um sistema alternativo de pagamentos independente de governos e bancos. Para muitas pessoas, principalmente aquelas que vivem em países com instabilidade econômica e restrições financeiras, o Bitcoin representa uma opção para escapar das limitações impostas por instituições financeiras tradicionais.

Em algumas regiões as criptomoedas têm sido adotadas como uma solução para a falta de acesso a serviços bancários e como uma forma de efetuar transações internacionais com custos reduzidos.

Diversificação de portfólio

A diversificação de investimentos é uma estratégia importante para reduzir o risco em uma carteira de investimentos. Distribuir o patrimônio em diferentes ativos busca obter um retorno adequado em qualquer cenário, evitando surpresas negativas. Por conta do potencial disruptivo do Bitcoin, a criptomoeda funciona para reduzir o risco em uma carteira de investimentos.

Além disso, como historicamente o Bitcoin possui baixa correlação com outros ativos, como ações e títulos, ele pode ajudar a suavizar as flutuações de valor do portfólio em momentos de volatilidade nos mercados tradicionais.

Alta valorização de longo prazo

O potencial de adoção do Bitcoin como reserva de valor e meio de troca ainda é enorme. Entretanto, justamente por ainda não ter se estabelecido como base de sistemas de pagamento, seu preço tende a sofrer muita oscilação. Apesar da alta volatilidade, seu histórico de valorização em prazos superiores a 3 anos supera as demais classes de investimento.

O desafio para os investidores é encontrar um equilíbrio entre o potencial de valorização do Bitcoin e sua volatilidade, adequando sua alocação segundo o perfil de risco e objetivos financeiros.

Possibilidade de custódia própria

Custódia de criptomoedas significa guardar os ativos de maneira segura. No mercado financeiro tradicional a custódia é obrigatoriamente realizada por uma empresa regulada especializada. Na prática, as ações e títulos dos investidores ficam em poder de terceiros e qualquer movimentação depende desses intermediários.

Na ponta oposta, o Bitcoin possibilita que o próprio usuário faça sua custódia, se assim desejar, sendo o único responsável pela segurança de suas criptomoedas. A carteira digital (wallet) permite movimentar Bitcoins sem risco de censura ou necessidade de intermediários. 

Vetores de alta do Bitcoin

Sem dúvidas o “halving”, o corte programado na emissão de novas moedas, é uma data muito aguardada, pois valida a escassez do Bitcoin. Além do histórico favorável de preço nos anos que seguiram aos “halvings” de 2016 e 2020, este evento traz exposição na mídia e ajuda a divulgar a criptomoeda. Sua data estimada é maio de 2024, porém não há garantias de sua influência favorável no preço.

Paralelamente, temos a adoção institucional, os grandes fundos de investimento que atualmente não podem comprar Bitcoin diretamente por questões regulatórias. Nesse sentido, o instrumento ETF, o fundo de investimento em Bitcoin com cotas negociadas na bolsa de valores, torna a criptomoeda mais acessível.

Embora o ETF de Bitcoin exista no Brasil e Canadá, tal veículo segue em análise nos EUA, um mercado de trilhões de dólares nas mãos dos fundos de investimento.

Por esse motivo, existe uma grande aposta na valorização do Bitcoin quando a aprovação do ETF pela Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos EUA ocorrer.

É difícil estimar a data da eventual aprovação do ETF, porém o prazo para a resposta da SEC é fevereiro de 2024. Cabe lembrar que todas as tentativas até o momento foram rejeitadas, mas desta vez as gigantes de investimentos BlackRock e Fidelity fazem parte do processo, causando alvoroço e grande expectativa entre os investidores.

Análise de desempenho e histórico do Bitcoin

Conforme os dados abaixo demonstram, o retorno do Bitcoin supera com folga as principais bolsas de valores mundiais, commodities e índices de fundos imobiliários. Sem dúvida, desempenhos passados não são garantia de retornos futuros. Nesse sentido, é impossível prever a cotação do Bitcoin, que é exclusivamente ditada pela oferta e demanda do mercado.

PeríodoPerformance em R$ BitcoinInflação IPCA no período
1 ano+12%+3,9%
2 anos-18,4%+16,0%
3 anos+195%+25,4%
4 anos+260%+27,7%
5 anos+416%+33,7%
6 anos+1613%+37,5%
Dados até 25 de outubro de 2023.

Bitcoin versus Bolsa de Valores

Comparar a performance do Bitcoin com os principais índices globais do mercado de ações é interessante, pois ambos oferecem ativos escassos, volume de negociação expressivo e atraem investidores em busca de retornos expressivos.

PeríodoPerformance em R$ BitcoinIbovespa (Brasil)S&P500 (EUA)MSCI China
1 ano+12,0%+21,6%-1,2%-21%
2 anos-18,4%-4,1%-5,3%-44,3%
3 anos+195%+17,3%+29,5%-41,3%
4 anos+260%+15,4%+17,3%-3,9%
5 anos+416%+50,3%+50,3%-10%
6 anos+1613%+84,7%+84,7%+17,3%
Dados até 25 de outubro de 2023.

Análise de tendências e perspectivas futuras do Bitcoin

Qualquer previsão do Bitcoin, mesmo para o curto prazo, depende de diversos fatores, que incluem o cenário externo, imprevisível por natureza. 

Embora muitos analistas apontem para uma perspectiva de valorização de longo prazo, as oscilações na cotação são ditadas pela mudança no interesse e apetite de compradores e vendedores. 

Sem dúvida, enquanto existir uma demanda por ativos com previsibilidade de oferta e soberania ao detentor, a tendência é que o Bitcoin siga sua trajetória de valorização.

Modelos de previsão do Bitcoin são confiáveis?

Os analistas fundamentalistas buscam entender quais os motivos que levam à compra do Bitcoin. Esses modelos consideram a forma de utilização e como se dá o crescimento dessa rede de usuários.

Em contrapartida, a análise gráfica (ou técnica) usando assume que todas as notícias e acontecimentos encontram-se precificados. Dessa forma, tais modelos são baseados exclusivamente no histórico de negociação dos ativos.

Embora exista um racional para essas estimativas ou uma correlação histórica, não é possível afirmar que tais modelos funcionam. Isso porque é impossível prever a oferta e demanda da criptomoeda ao longo do tempo. Conforme a perspectiva de cada investidor altera-se o valor proposto para essa rede digital em constante movimento.

Bitcoin vale a pena? O que dizem os especialistas?

Larry Fink, CEO da Blackrock, a maior gestora de investimentos do mundo, afirma: “Acredito que o Bitcoin tem potencial para ser uma reserva de valor e uma forma de investimento interessante para o futuro.” Na visão de Fink, o Bitcoin se posiciona como uma opção de “proteção contra a inflação” por ser um “ativo internacional” para as pessoas diversificarem parte de seu patrimônio.

Cathie Wood, fundadora e CEO da Ark Invest, uma empresa de gestão de ativos, reafirmou que o preço do Bitcoin (BTC) pode chegar a US$ 682 mil até 2030. Wood acredita que a crise bancária nos EUA no início de 2023 tenha demonstrado o que acontece em períodos de instabilidade, quando os investidores buscam por proteção. Dessa forma, a visão construtiva da Ark Invest para o Bitcoin se consolidou nos últimos meses.

Paul Tudor Jones, investidor e um dos maiores gestores de fundos hedge do mundo, reiterou que nunca irá deixar de investir em Bitcoin. Tudor ressaltou a importância de se investir em algo “confiável, consistente, honesto, e 100% certo.” Outro comentário reforçado em sua entrevista mais recente foi: “O Bitcoin é a única coisa em que os humanos não podem ajustar a oferta”.

Peter Doyle, co-fundador e CEO da Horizon Kinetics, uma gestora com mais de 7 bilhões de dólares em investimentos, afirmou em entrevista recente que “todos os investidores deveriam ter uma exposição em Bitcoin,” ressaltando que o ativo possui potencial para funcionar como proteção contra a alta da inflação, acrescentando que a criptomoeda possui um elevado potencial de valorização em um curto espaço de tempo.

Essas opiniões refletem a visão de que os maiores gestores do universo tradicional estão se posicionando favoravelmente ao Bitcoin, reconhecendo seu potencial como uma reserva de valor e um ativo de investimento.

Pesquisa de mercado e opiniões da comunidade de investidores

De acordo com uma pesquisa Moisaclab/Gouvea, o Brasil já conta com 10 milhões de investidores em criptomoedas. A pesquisa revela que 67% dos entrevistados acreditam que o Bitcoin continuará se valorizando nos próximos anos. Além disso, 52% dos investidores têm o Bitcoin como a principal criptomoeda em suas carteiras.

Considerando que 43% dos entrevistados que ingressaram no mercado de criptomoedas entraram nos últimos 2 anos, podemos afirmar que existe um interesse crescente. Outro ponto importante da pesquisa encomendada pelo Mercado Bitcoin é que dentre os investidores no sentido mais amplo apenas 28% possuem criptomoedas.

Esses números e estatísticas indicam um crescente interesse no Bitcoin como reserva de valor e meio de troca na comunidade de investidores brasileiros.

Qual o futuro do Bitcoin?

Apesar da estabilidade nas regras de uso, o Bitcoin segue em desenvolvimento, incluindo as redes de segunda camada, como a Lightning Network, trazendo transações instantâneas e de baixo custo. O usuário deve previamente reservar uma quantia de satoshis, ou fração de Bitcoin, para esta finalidade.

Outras tecnologias em desenvolvimento incluem as sidechains, redes paralelas que podem ser utilizadas para executar smart contracts (contratos inteligentes) e oferecer interoperabilidade com outras blockchains.

No entanto, é importante ressaltar que a implementação de qualquer mudança no Bitcoin requer um extenso debate e consenso entre a comunidade e desenvolvedores para garantir que as mudanças sejam bem-sucedidas e não comprometam a integridade do protocolo.

Como começar a investir em Bitcoin?

O Bitcoin funciona sem uma entidade central, portanto pode ser negociado livremente entre os usuários. No modelo de negociação p2p, ou de “pessoa para pessoa”, o envio do dinheiro e das criptomoedas ocorre diretamente entre os envolvidos. 

Entretanto, para comprar Bitcoin no Brasil de forma segura é recomendável escolher uma corretora com boa reputação e sem histórico de advertências dos reguladores como o Mercado Bitcoin (MB).

O que é exchange, a corretora de Bitcoin?

Exchanges são plataformas que intermediam a negociação de ativos digitais entre clientes. As corretoras apenas agregam interessados em negociar ativos digitais, sem intervir na negociação.

Nesse sentido, cada empresa é livre para escolher quais ativos digitais deseja disponibilizar para seus usuários e a cotação pode variar entre cada exchange por conta de diferentes prazos, taxas e base de clientes.

Como comprar Bitcoin no MB?

Confira como é simples investir em Bitcoin e outras criptomoedas:

  • Efetue uma transferência (TED ou PIX) para a conta bancária do Mercado Bitcoin. Para receber as instruções basta clicar em “Depositar” no site ou aplicativo.
  • Após ter seu depósito validado, selecione a criptomoeda “Bitcoin” na barra lateral esquerda.
  • Clique em “Comprar e Vender” e defina qual o valor a ser utilizado na compra.
  • Para finalizar clique no botão “Comprar Agora” e confirme a negociação.

Como ganhar Bitcoin grátis?

Não é possível ganhar Bitcoin de graça, pois mesmo na mineração é preciso gastar energia elétrica e investir em equipamentos. De maneira similar, no trade de criptomoedas e operações de arbitragem é preciso manter saldos nas exchanges para aproveitar as diferenças na cotação.

  • Tome cuidado com ofertas de robôs de trade (bot), pois é enorme a probabilidade de ser golpe.
  • Lembre-se que não existe lucro garantido em renda variável, portanto desconfie de ofertas prometendo ganhos em Bitcoin.
  • A cotação de um Bitcoin inteiro é superior a R$ 100 mil, mas é possível negociar quantias a partir de R$ 1 no MB.

Em suma, embora não seja possível ganhar Bitcoin sem gastar, você pode receber outras criptomoedas de graça ao aprender sobre seus mecanismos e funcionalidades. Conheça agora o “Aprenda e Ganhe” do MB.


Ficou claro se vale a pena comprar Bitcoin, seu potencial e principais vantagens? Compre e venda Bitcoin (BTC) através do MB, a corretora líder na América Latina.

https://www.mercadobitcoin.com.br/economia-digital/bitcoin/bitcoin-vale-a-pena/
Destaques Autor
img:Redação

Redação

Estamos aqui para oferecer a você conteúdo de qualidade que o ajude a navegar com confiança pelo universo dos criptoativos. Nosso compromisso é fornecer análises precisas e perspectivas aprofundadas sobre os mais recentes desenvolvimentos no mercado cripto. Acreditamos que a educação é fundamental para o sucesso no mundo dos criptoativos, e é por isso que nos esforçamos para tornar nossos artigos acessíveis e compreensíveis para investidores de todos os níveis de experiência.  Estamos aqui para ser seu guia confiável no universo em constante evolução das moedas digitais. Seja bem-vindo e fique à vontade para nos acompanhar em nossa missão de tornar o mundo das criptos mais acessível, compreensível e lucrativo para todos!

Saiba mais
Destaques Comentários