img:Bitcoin
Bitcoin - BTC
R$ 332.261,00 0.13%
img:Ethereum
Ethereum - ETH
R$ 16.185,14 -0.17%
img:Chiliz
Chiliz - CHZ
R$ 0.56434697 3.55%
img:XRP
XRP - XRP
R$ 2,59 -0.07%
img:Shiba Inu
Shiba Inu - SHIB
R$ 0.00011774 3.25%
img:USD Coin
USD Coin - USDC
R$ 5,30 1.8%
img:Cardano
Cardano - ADA
R$ 2,37 -0.96%
img:ApeCoin
ApeCoin - APE
R$ 6,26 0.9%
img:Solana
Solana - SOL
R$ 700,17 -3.34%
img:MANA (Decentraland)
MANA (Decentraland) - MANA
R$ 2,26 0.77%
img:Bitcoin
Bitcoin - BTC
R$ 332.261,00 0.13%
img:Ethereum
Ethereum - ETH
R$ 16.185,14 -0.17%
img:Chiliz
Chiliz - CHZ
R$ 0.56434697 3.55%
img:XRP
XRP - XRP
R$ 2,59 -0.07%
img:Shiba Inu
Shiba Inu - SHIB
R$ 0.00011774 3.25%
img:USD Coin
USD Coin - USDC
R$ 5,30 1.8%
img:Cardano
Cardano - ADA
R$ 2,37 -0.96%
img:ApeCoin
ApeCoin - APE
R$ 6,26 0.9%
img:Solana
Solana - SOL
R$ 700,17 -3.34%
img:MANA (Decentraland)
MANA (Decentraland) - MANA
R$ 2,26 0.77%
Redação Redação
a- A+

O maior receio  dos investidores de criptomoedas é a forte variação nas cotações. Para resolver esse problema surgiu a stablecoin, um ativo virtual cuja cotação acompanha uma ativo tradicional, como uma moeda.

Embora muitos percebam as vantagens da ausência de um controlador e a possibilidade de transacionar a qualquer hora, a questão da oscilação de preço acaba falando mais alto.

Por isso, ao entender o que é uma stablecoin, o investidor ganha um método de investir com a agilidade e transparência do blockchain, porém usando ativos tradicionais como o dólar e o ouro.

O que é stablecoin, a moeda pareada?

Stablecoin é uma moeda digital que busca paridade com um ativo tradicional. Dentre o exemplo mais conhecido temos o dólar norte-americano, porém existem moedas virtuais atreladas ao ouro, Euro, Reais e Iene japonês.

  • Não é preciso envolver contas bancárias para transferências, pois as transações são realizadas em moedas digitais.
  • Contam com uma empresa emissora responsável por assegurar que as reservas são suficientes para cobrir o total emitido.
  • Para buscar a paridade, a maioria das stablecoins mantêm saldos e investimentos como depósito de garantia (lastro).

O ativo digital pareado é um elemento crucial para o universo das criptomoedas, pois é uma porta de entrada para quem está iniciando.

O que é lastro?

O lastro tem como finalidade assegurar o ativo, o certificado de ouro é um bom exemplo de uso, uma forma de atestar a quantidade e qualidade das barras de ouro de maneira prática. A PaxGold, por exemplo, é uma criptomoeda lastreada em ouro.

  • É vinculado a algum outro bem: dinheiro, veículos, imóveis, máquinas, empresas ou outros investimentos.
  • A custódia (guarda) é feita por terceiros, necessariamente bancos ou empresas especializadas e autorizadas.
  • O lastro nem sempre é físico, pois a escritura de um imóvel pode funcionar como lastro de um recebível.

Esse mecanismo de ativos com lastro permite a transferência e posse com menos riscos, pois evita o transporte e posse do bem.

Como funciona uma stablecoin?

Stablecoin é uma criptomoeda, um bem digital que só existe no banco de dados público, o blockchain. Essa tecnologia permite a livre movimentação entre usuários sem possibilidade de censura.

  • Podem ser utilizadas para comprar e vender produtos e serviços sem necessidade de terceiros para intermediação.
  • O registro histórico das transações é público e transparente possibilitando que qualquer usuário faça consulta por conta própria.
  • Para movimentar esses ativos digitais é necessário ter uma carteira digital (wallet), um aplicativo que se comunica com o blockchain.

Qual a vantagem no uso do blockchain?

Ao utilizar o blockchain, a tecnologia das moedas digitais as transações das stablecoins tornam-se independentes da empresa emissora. Dessa forma, incorporam os benefícios das criptomoedas.

  • Elimina a necessidade de  terceiros para conferir saldos e total em circulação, essencial na área de investimentos.
  • Seus detentores conseguem utilizá-los em diferentes plataformas, inclusive nos mercados de compra e venda.
  • A segurança da criptografia garante que só o dono da senha de cada carteira digital consegue movimentar suas moedas digitais.

Para que serve uma stablecoin?

A stablecoin é uma excelente opção para investidores que buscam exposição ao dólar, ouro e demais moedas tradicionais usando o meio digital, portanto livre para transacionar e movimentar seus ativos sem possibilidade de censura ou intervenção. Abaixo listamos alguns casos de uso demonstrando a vantagem das moedas digitais pareadas.

Maior transparência

As stablecoins apresentam alguns benefícios ao possibilitar movimentações usando moedas estrangeiras no formato digital. Dentre as vantagens estão a velocidade de confirmação, taxas mais baixas e negociação 24 horas. Além disso, o ativo digital pareado traz mais transparência ao oferecer um sistema auditável.

Menor volatilidade

Os usuários de criptomoedas que buscam proteção contra a volatilidade, a forte variação nas cotações, encontram proteção nas stablecoins. Isso tudo sem depender de saques ou transferências bancárias, que além de custosos podem levar alguns dias para serem processados.

Uso no comércio

Com as stablecoins pagamentos de faturas e prestadores de serviços ocorrem sem depender de um intermediário. Ao eliminar bancos e processadores de pagamento, o instrumento reduz custos, burocracia e riscos. Por último, é possível automatizar pagamentos usando smart contracts, os contratos inteligentes.

A cotação da stablecoin é fixa?

Não, a cotação das criptomoedas, incluindo stablecoins, é determinada exclusivamente pelos interessados na negociação em cada corretora. No entanto, a tendência é que o preço caminhe de forma semelhante ao ativo utilizado de garantia.

  • Cada stablecoin possui sua empresa emissora, forma de administrar a garantia (lastro), prazos e taxas de conversão.
  • Quando ocorre uma distorção no preço os arbitradores podem intervir buscando lucro caso seja possível resgatar o ativo junto ao emissor.
  • As corretoras (exchanges) apenas organizam os negócios entre compradores e vendedores, portanto não influenciam a cotação.

Em suma, a cotação desse ativo digital pareado tende a se manter próxima do ativo de garantia, contanto que o emissor mantenha o lastro e mecanismos de emissão e resgate abertos para os participantes do mercado.

Quais os tipos de stablecoin?

De fato, existem diferentes mecanismos adotados pelos emissores para buscar uma paridade entre o ativo de garantia e a cotação da stablecoin no mercado.

Lastreadas em moedas fiduciárias: fiat-backed

São as mais conhecidas, pareadas na proporção 1:1 com o ativo de garantia. Para emitir esse ativo digital pareado as empresas precisam colocar uma quantidade equivalente em moeda fiduciária como o dólar, Real ou o Euro em contas bancárias de uma instituição de confiança.

Esse mecanismo, embora mais seguro na teoria, ainda envolve os riscos relacionados ao seu emissor, portanto deve-se priorizar stablecoins com administração e custódia de empresas devidamente reguladas e regularmente auditadas.

Lastreadas em bens físicos (commodities): commodity-backed

As stablecoins lastreadas em bens físicos seguem o mesmo princípio da moeda paredes com depósito garantia em moeda fiduciária com depósitos integrais para cobrir o total de moedas emitido. A diferença é que este modelo é baseado em matérias-primas como ouro ou barris de petróleo.

O ativo digital lastreado em bens físicos acaba sendo mais volátil que o anterior, pois seu valor está diretamente relacionado à cotação da matéria-prima no mercado. Nesse sentido, é natural que o preço do ouro e do petróleo apresenta uma oscilação média maior do que o Euro, Real, ou Iene.

Lastreadas em ativos digitais: crypto-backed

Ao contrário dos modelos anteriores, existem stablecoins integralmente lastreadas em outros ativos digitais. Desse modo, toda estrutura desse ativo digital pareado encontra-se fora do sistema financeiro tradicional reduzindo a possibilidade de censura ou falhas.

Esse mecanismo de lastro pode ser administrado por uma empresa emissora ou através de um consórcio governando por usuários desse sistema. Em suma, a característica principal do lastro em ativos digitais é a ausência de moedas tradicionais nos depósitos de garantia.

Algorítmicas não-colateralizadas: algorithmic-backed

Considerado o modelo mais arriscado a stablecoin algorítmica não possui relação direta com qualquer moeda fiduciária, commodities ou outras criptomoedas. Nesse sentido, seu lastro é totalmente regido por algoritmos e pelos contratos inteligentes (smart contracts).

De forma resumida, os tokens em circulação podem ser destruídos ou emitidos conforme a variação em sua cotação buscando uma estabilidade. Na prática, um sistema de algoritmos é responsável por reduzir sua emissão se o preço da stablecoin cair abaixo do valor da respectiva moeda fiduciária.

Quais as vantagens de investir em stablecoin?

Primeiramente, o investidor deve alocar sua carteira conforme seu perfil de risco, e sabemos que as criptomoedas são ativos com alta volatilidade. Para sanar esse problema as stablecoins trazem a estabilidade de moedas tradicionais com a transparência e agilidade das criptomoedas.

Moeda forte

O dólar, Euro, e o ouro são os ativos mais fortes e soberanos nas economias globais. Tais ativos servem como proteção contra a desvalorização do dinheiro para pessoas que vivem em países onde a moeda local é mais fraca, incluindo o Brasil.

Saldo parado

Vamos imaginar um cenário onde você vendeu criptomoedas. Neste caso, usar stablecoin é uma excelente opção ao trazer agilidade e custos menores de transferência comparado com as contas bancárias além de oferecer múltiplas moedas e ativos pareados.

Transferências para exchanges

Para transferir moeda fiduciária de uma exchange para outra era necessário sacar o valor e em seguida realizar o depósito. Tal processo leva tempo e envolve altas taxas. Utilizando stablecoins a transferência é muito mais rápida e barata, ideal para operações de arbitragem.

Uso em aplicações descentralizadas

As stablecoins, assim como as demais criptomoedas, podem ser utilizadas em aplicações descentralizadas, incluindo ferramentas de empréstimo e depósito remunerado de finanças (DeFi). Ao usar stablecoins é possível interagir com tais aplicativos com ativos de menor volatilidade.

Conheça algumas das principais stablecoins no mercado

Sem dúvidas as stablecoins atreladas ao dólar norte-americano dominam este mercado, porém existem opções de investimento pareadas em outras moedas e ativos. Abaixo destacamos alguns dos principais ativos digitais pareados.

Tether USD

Tether USD (USDT) é uma criptomoeda que busca manter a paridade com o dólar norte-americano. Esse mecanismo é administrado pelo emissor, a empresa Tether, que inovou neste segmento em 2015 ao lançar um ativo digital garantido por reservas corporativas.

USD Coin (USDC)

A stablecoin USD Coin (USDC) foi criada em 2018 pela Circle e pela Coinbase, duas grandes empresas americanas do ecossistema de ativos digitais. O emissor assegura que o número de moedas emitidas possui a quantia equivalente depositada em bancos.

MBRL, pareada ao Real R$

MBRL, a stablecoin do Real R$ une a utilidade e facilidade dos ativos digitais com a confiança e estabilidade da moeda fiduciária brasileira. A gestão e custódia do lastro é realizada pela MB Pay, a instituição de pagamento regulada e registrada do grupo 2TM.

PAX Gold (PAXG), pareada em ouro

A PAX Gold (PAXG) é uma stablecoin lastreada em ouro onde 1 token de PAXG equivale a 1 onça troy (31,1 gramas) de ouro armazenado cofres sob a gestão da Paxos, empresa regulada nos EUA que iniciou sua operação de criptomoedas em 2018. 

Demais stablecoins

Dentre as opções disponíveis para negociação no Mercado Bitcoin podemos destacar a Euro Coin (EUROC) lastreada em depósitos do Euro, e Gyen (GYEN) representando a moeda fiduciária do Japão, o Iene. A própria Paxos possui sua versão do dólar digital, a Pax Dollar (USDP).

O Real Digital é uma stablecoin?

O Real Digital é um CBDC, uma moeda digital emitida e garantida por governos, e existe somente no banco de dados privado desta instituição. Nesse sentido, embora conte com lastro, não pode ser classificada como stablecoin

No entanto, a versão brasileira da moeda digital dos governos (CBDC) pode ser considerada um ativo digital pareado. Cabe ressaltar que o Real Digital exige o uso de carteiras digitais (wallets) onde só o detentor da respectiva senha consegue movimentar as moedas. 

O que é CBDC?

O CBDC (Central Bank Digital Currency) mantém os fundamentos — e problemas — da moeda fiduciária, o dinheiro emitido por países e governos. A moeda digital emitida por Bancos Centrais é livremente controlada por seu emissor, no caso, os respectivos países.

  • O emissor pode alterar regras de emissão e circulação sem necessidade de aprovação dos participantes.
  • O CBDC faz parte da oferta monetária base do país, podendo circular junto das moedas no formato tradicional.
  • Facilita a portabilidade de dinheiro e de ativos financeiros usando contratos programáveis (smart contracts).

O CBDC não pode ser caracterizado como criptomoeda, pois utiliza um banco de dados privado, ao contrário das blockchains públicas dando total controle ao emissor para alterar regras e censurar transações.

Regulação das stablecoins no Brasil

No Brasil as stablecoins e demais criptomoedas são perfeitamente legais. Isso inclui sua intermediação, custódia e uso como instrumento de investimento. Tais ativos já eram considerados bens digitais pela Justiça e Receita Federal com suas respectivas normas tributárias.

O marco regulatório, ou “Lei das criptomoedas” (PL 4401/21), aprovado em dezembro de 2022, estabeleceu um marco regulatório para o setor, definindo exigências de cadastro para as corretoras de ativos digitais visando proteção e defesa do consumidor.

Nesse sentido, o Decreto 11.563 publicado em junho de 2023 determina o Banco Central como órgão regulador desse setor definindo quem pode atuar no mercado. O texto esclarece que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é responsável por ativos virtuais configurados como valores mobiliários.

Desafio regulatório das stablecoins no mundo

Devido à ausência de um ambiente regulatório claro nos EUA e na Europa, os emissores de stablecoins têm enfrentado dificuldades em suas parcerias bancárias. Isso fez com que fossem interrompidos os resgates em troca de dinheiro fiduciário em alguns momentos, o que afetou a paridade de preços das moedas pareadas.

Além disso, alguns bancos relutam em fazer parceria com emissores de ativos digitais pareados devido a preocupações com os riscos envolvidos. É provável que esses problemas sigam desafiadores nos próximos anos. 

No entanto, conforme o mercado amadurece e a regulação se torna mais clara as stablecoins podem se tornar uma forma de pagamento mais amplamente aceita.

Perspectivas futuras para as stablecoins

É preciso separar as stablecoins utilizando o blockchain das criptomoedas do CBDC, o ativo digital emitido por governos. Por isso, quando falamos de stablecoins estamos nos referindo aos ativos digitais registrados em blockchains públicas sem um controlador central.

Tendências e perspectivas de crescimento

As stablecoins têm demonstrado um potencial promissor para impulsionar o comércio global facilitando transações internacionais e reduzindo custos. Sua natureza digital e a estabilidade de valor em relação a ativos tradicionais como moedas fiduciárias oferecem benefícios significativos.

Empresas podem se beneficiar ao usar ativos digitais pareados para transações comerciais, pois eliminam a necessidade de conversão de moedas e evitam a volatilidade dos mercados financeiros. Além disso, as stablecoins eliminam intermediários e reduzem custos de transação. 

Integração com o sistema financeiro tradicional

Conforme ganham reconhecimento e aceitação espera-se que os balanços de bancos e empresas comecem a reconhecer as stablecoins como ativos financeiros. Isso irá possibilitar seu uso como garantia em operações financeiras oferecendo uma alternativa segura e estável.

Essa integração gradual com o sistema financeiro tradicional tende a abrir novas oportunidades e fortalecer ainda mais o papel das stablecoins no cenário financeiro global. Em suma, a integração de ativos digitais pareados com o sistema financeiro tradicional é uma tendência importante para impulsionar sua adoção em larga escala.

Inovações tecnológicas e desenvolvimentos futuros

Inovações tecnológicas têm impulsionado o desenvolvimento contínuo dos ativos digitais pareados com destaque para o uso de soluções de segunda camada. Essas tecnologias permitem transações rápidas e quase sem custo, aumentando a eficiência das stablecoins no comércio e nas transações internacionais.

Além disso, as stablecoins algorítmicas surgiram como uma nova vertente utilizando lastros além dos depósitos bancários e títulos de dívida dos governos. Esses ativos podem incluir commodities, ações e outros instrumentos financeiros, permitindo uma maior diversificação e potencialmente aumentando sua estabilidade.

Vale a pena investir em stablecoin?

Depende de seu objetivo de retorno esperado da carteira, pois apesar de agilizar transações digitais a stablecoin não traz um elevado potencial de retorno. 

Na ponta oposta, ao buscar a paridade com uma moeda tradicional, as moedas pareadas são uma excelente maneira de reduzir a volatilidade de uma carteira contendo criptomoedas, por exemplo.

Outro aspecto favorável para o investimento em stablecoins é a facilidade de ter acesso ao dólar, ouro, ou Euro, sem depender de bancos e intermediários com transações 24 horas. Todavia, para o investidor que busca rentabilidade talvez esta classe de ativos digitais pareados não seja a melhor opção.

Onde comprar stablecoin no Brasil?

Você pode comprar stablecoins no Mercado Bitcoin, a exchange líder em volume de negociação e número de clientes no Brasil, e você conta com a tranquilidade de uma empresa regulada pelo Banco Central. Você conta com nosso site ou aplicativo para Android e iOS para todas as etapas desde o cadastro até a transferência de valores.

Somos a única grande corretora de ativos digitais na América Latina com 10 anos de histórico sem vazamentos ou ataques bem sucedidos. Isso se deve a nossa preocupação com segurança, adotando medidas de prevenção e salvaguardas no gerenciamento dos ativos digitais e depósitos de nossos clientes.

Agora que você entendeu como as stablecoins funcionam, quando você for comprar cripto, compra com pix.

Com o MB você investe em criptomoedas sem sair do app do seu banco. É muito mais praticidade para sua vida financeira. Veja como é simples:

  1. Se você ainda não tem, abra sua conta no MB
  2. No app do seu banco, vá em “Pix” para fazer uma transferência e use a chave CNPJ do MB: 11.351.086/0001-13
  3. Adicione o valor (R$) que você deseja investir e, na descrição do pix, escreva o nome da criptomoeda ou sigla do ativo (exemplo: “USD Coin” ou “USDC”)
  4. Pronto!

Comece a negociar no MB a partir de R$ 1. 🚀